sábado, 10 de março de 2007

A Mulher no Sikhismo

Guru Nanak Dev ji rejeitou o sistema de castas e o estatus inferior das mulheres. Guru Angad Dev ji continuou a propagar sua mensagem de igualdade, e esse ideal foi transmitido aos outros Gurus que o sucessederam.
O Sikhismo é original em reconhecer a igualdade para todos os seres e especificamente para homens e mulheres.
Entre a igualdade de todos os seres humanos, os aspectos fundamentais do Sikhismo incluem a igualdade e a independência implícitas para homens e mulheres.
A opinião espiritual do Sikhismo (revelado ao Guru Nanak em 1469) propõe a reforma social de papéis das mulheres na sociedade.
O Sikhismo advoga a participação ativa e de igualdade na congregação, universidades, cuidados médicos, militar entre outros aspectos da sociedade.
A subordinação feminina, a prática de fazer exame do último nome do pai ou do marido, os rituais praticados que implicam dependência ou a subordinação não fazem parte dos princípios Sikhs.
Os princípios universais do Sikhismo e da opinião espiritual devem ser praticados diariamente e incorporado na vida do dia a dia.
Idealmente, se cada um de nós incorporasse verdadeiramente os ensinos do Guru em nossas vidas diárias, este seria um mundo perfeito para se viver.
Não haveria violencia ou repressão.
Igualdade das mulheres não é uma ideologia, e na prática do Sikhismo renderiam debates as edições como, “que direitos mulheres Sikhs têm? ou que é uma identidade das mulheres?
O Guru defendeu nossa liberdade e ensinou-nos viver livre da escravidão e tirania.

Um comentário:

Jose disse...

Com isso o Sikhismo demonstra ser muito mais evoluído do que inúmeras seitas do cristianismo que pretendem a mulher submissa ao homem.

Rodrigues